Ramazani Mtoro Ongala, conhecido artisticamente como Remmy Ongala, nasceu em 10 de fevereiro de 1947, em Kindu, no então Congo Belga, território que hoje corresponde à República Democrática do Congo. A proximidade de sua cidade natal com a Tanzânia, onde viria a consolidar sua carreira musical, denota as raízes transfronteiriças que influenciariam sua arte.

Carreira Musical e Influências

Nos anos 80, Ongala emergiu como um músico promissor no cenário soukous, um gênero musical também conhecido como rumba congolesa. Em 1978, ele se mudou para Dar es Salaam, na Tanzânia, onde se juntou à Orquestra Makassy. Mais tarde, com a criação de sua própria banda, a Orchestre Super Matimila (nome derivado do empresário que possuía os instrumentos da banda), Remmy Ongala foi fundamental na difusão do estilo soukous na subcultura musical tanzaniana, especialmente no gênero Ubongo, que influenciaria o desenvolvimento do hip-hop tanzaniano na década de 1990.

Ativismo e Mensagem Social

Conhecido como “Sauti ya Mnyonge” (voz do homem pobre), Ongala utilizava sua música como um instrumento social para abordar questões como pobreza, AIDS/HIV, urbanização e vida familiar. Sua música, frequentemente percebida como “consciente” tanto por artistas quanto por ouvintes, contribuía com comentários sócio-políticos ativos para a paisagem sonora da Tanzânia.

Filosofia e Impacto Cultural

Inspirado pelos ideais pós-coloniais de Julius Nyerere, que pregava o valor do Ujamaa (fraternidade ou comunidade familiar) como um componente básico do nacionalismo tanzaniano, Ongala refletia em suas canções temas de igualdade e justiça social. Acreditando na abolição do racismo e da injustiça social, ele infundia suas letras com mensagens poderosas e inspiradoras, o que lhe valeu o apelido de “Dr. Remmy”.

Legado e Reconhecimento Internacional

Sua faixa “Kipenda Roho” alcançou reconhecimento internacional ao ser utilizada no filme “Natural Born Killers”, de Oliver Stone.

CONHEÇA TAMBÉM:  Msafiri Zawose

Falecimento e Homenagens Póstumas

Remmy Ongala faleceu em 13 de dezembro de 2010 em sua casa em Dar es Salaam. Após sua morte, ele foi honrado postumamente com o troféu Hall of Fame no Tanzania Music Awards de 2012, reconhecendo o impacto duradouro de sua música e seu legado no cenário cultural da Tanzânia e além.

Com sua voz única e compromisso com a justiça social, Remmy Ongala permanece uma figura emblemática na música africana, cujas canções e ativismo continuam a inspirar novas gerações.

Corrigir / Atualizar ou Adicionar Informações