José María Cano Andrés nasceu em 21 de fevereiro de 1959, em Madri, Espanha. Desde muito jovem, mostrou interesse pelas artes, frequentando academias de desenho e pintura, com o objetivo inicial de seguir carreira em arquitetura.

Carreira Musical

Formação do Mecano

Cano começou sua carreira musical dando concertos como estudante universitário em Madri, onde conheceu Ana Torroja, futura vocalista da banda Mecano. Em 1981, com o apoio financeiro de seu pai, a banda lançou seu primeiro álbum autointitulado, que incluía o hit “Hoy No Me Puedo Levantar”. José e seu irmão Nacho foram os principais compositores da banda.

Evolução Musical e Composições

Em 1984, Cano começou a tocar piano e mudou seu método de composição. Ele expandiu seu trabalho para compor para outros artistas renomados, como Chayanne, Ana Belén, Julio Iglesias e Miguel Bosé. Cano é conhecido por criar músicas que se tornaram famosas no mundo de língua espanhola, como “Hijo de la Luna” e “Cruz de navajas”.

Após a separação do Mecano em 1992, ele compôs a ópera “Luna”, gravada com Plácido Domingo como protagonista. Cano também compôs o hino do Real Madrid em 2002, cantado por Domingo, e em 2006, compôs um “Pai Nosso” cantado por Montserrat Caballé durante a visita do Papa Bento XVI a Valência.

Carreira como Artista Visual

Primeiros Passos na Arte

José María Cano iniciou sua carreira artística profissional em 2002, embora sua primeira exposição tenha ocorrido em 2004. Ele começou a trabalhar com imagens de sua própria experiência de divórcio, pintando cartas agressivas de advogados com desenhos de seu filho, tentando recontextualizar o propósito dessas cartas.

O Mundo Financeiro como Inspiração

Cano explorou o mundo das finanças em sua arte, criando a série “The Wall Street 100”, baseada em recortes do Wall Street Journal. Ele reproduziu meticulosamente os retratos e textos em grande escala usando encaustica, tentando criar monumentos autênticos com efeito tridimensional.

CONHEÇA TAMBÉM:  Abraham Mateo

Trabalho Conceitual

Embora tecnicamente preparado, o trabalho de Cano é essencialmente conceitual. Ele usa técnicas trabalhosas e variadas, como encaustica sobre tela e aquarela sobre papel. Seu trabalho é baseado em recortes de jornais ou fotografias, usando técnicas contemporâneas de apropriação para navegar no espaço entre realidade e verdade.

Exposições e Reconhecimento

A arte de José María Cano foi exibida em retrospectivas em museus, como o Cafa Art Museum em Pequim. Em 2018, ele entrou no mercado asiático com um retrato de Jack Ma, que quadruplicou seu recorde de preço anterior em um leilão.

José María Cano tem sido uma figura multifacetada na cultura espanhola, contribuindo significativamente tanto no campo musical com o Mecano quanto como um artista visual inovador. Seu trabalho continua a ser uma influência na arte contemporânea e na música, transcendendo gêneros e fronteiras.

Corrigir / Atualizar ou Adicionar Informações