Hugh Masekela

Hugh Masekela

Hugh Ramapolo Masekela (4 de abril de 1939 – 23 de janeiro de 2018) foi um trompetista, flugelhornista, cornetista, cantor e compositor sul-africano, muitas vezes descrito como “o pai do jazz sul-africano”. Sua música não apenas encantou o mundo com ritmos cativantes, mas também serviu como uma voz poderosa contra o regime do apartheid.

Vida Pregressa

Nascido na localidade de KwaGuqa, em Witbank, atualmente Emalahleni, Masekela foi filho de Thomas Selena Masekela, inspetor de saúde e escultor, e de Pauline Bowers Masekela, assistente social. Ele cresceu sob a influência de sua avó e de sua irmã mais nova, Barbara, que se tornou uma poetisa, educadora e ativista do ANC.

Seu interesse pela música começou na infância e ganhou corpo aos 14 anos, quando foi inspirado pelo filme “Young Man with a Horn”. O Arcebispo Trevor Huddleston comprou seu primeiro trompete e o incentivou a se aprofundar no instrumento, o que acabou levando à formação da primeira orquestra jovem da África do Sul, a Huddleston Jazz Band.

Primeiros Passos na Carreira

Em 1956, Masekela uniu-se ao Alfred Herbert’s African Jazz Revue. Sua música sempre refletiu suas experiências de vida, as angústias e os conflitos da África do Sul durante os anos de apartheid. Teve sucesso inicial como membro dos Jazz Epistles, o primeiro grupo de jazz africano a gravar um LP.

O Exílio e o Estrelato Internacional

Após o massacre de Sharpeville em 1960, Masekela foi para o exílio, estudando música em Londres e, posteriormente, em Nova York. Ganhou notoriedade nos Estados Unidos com hits como “Up, Up and Away” e o single número um “Grazing in the Grass”, que vendeu quatro milhões de cópias.

Ativismo e Legado Musical

Hugh Masekela nunca se afastou de seu papel como ativista. Seu álbum “Techno Bush” de 1984 incluiu o hit “Bring Him Back Home”, que se tornou um hino não oficial do movimento anti-apartheid. Ele também foi fundamental na organização do festival de música Zaire 74 e participou da turnê Graceland de Paul Simon.

CONHEÇA TAMBÉM:  Kelvin Momo

Retorno às Raízes Africanas

Ao longo dos anos 80 e 90, Masekela voltou suas atenções para a música africana, colaborando com músicos de todo o continente e reabsorvendo as influências musicais da África do Sul após seu retorno ao país na década de 1990.

Contribuições Sociais

Além de sua música, Masekela dedicou-se a várias iniciativas sociais. Ele fundou a Botswana International School of Music e serviu como diretor do Lunchbox Fund, uma organização sem fins lucrativos.

Vida Pessoal e Morte

Masekela casou-se diversas vezes, sendo sua primeira esposa a renomada cantora e ativista Miriam Makeba. Ele também era pai do apresentador de televisão americano Selema Masekela. Masekela morreu de câncer de próstata em 2018, aos 78 anos.

Honras e Prêmios

Hugh Masekela foi homenageado postumamente com um Google Doodle em 2019 e foi nomeado para três prêmios Grammy durante sua carreira. Ele também recebeu diversas honrarias acadêmicas e prêmios pelo seu ativismo e contribuições à música.

Hugh Masekela não foi apenas um músico fenomenal; ele foi uma força de mudança social e cultural, cujo legado reverberará por muitas gerações.