Fally Ipupa Nsimba nasceu em Kinshasa, República Democrática do Congo, em 14 de dezembro de 1977, filho de Monique Bolutuli Mbo e Faustin Ebamba Ipupa. Ele cresceu em Bandalungwa, um bairro conhecido pelos clubes noturnos e bares, e onde também estava sediado o grupo Wenge Musica. Fally tinha uma gagueira na infância, que é evidente em algumas de suas músicas. Desde pequeno, mostrou uma inclinação para a música, especialmente o tambor, sendo influenciado pelos grupos tradicionais que observava durante as férias. A música sempre esteve presente em sua vida, inclusive por meio da igreja que frequentava com a mãe.

Início da Carreira em Grupos Pequenos (1992-1997)

Entre 1992 e 1993, Fally formou o grupo Flash Succes com amigos. Posteriormente, passou por outros grupos de rua como Fraternité Musica e Kibinda Nkoy, onde desenvolveu suas habilidades como cantor, dançarino e animador.

Ascensão com Talents Latents (1997)

Em 1997, ele se juntou ao grupo Talents Latents, onde se tornou o chefe da orquestra e abandonou a escola para focar inteiramente na música. Nesse período, conheceu Koffi Olomidé e foi apresentado à Orquestra Quartier Latin, um passo significativo na sua carreira.

Com Quartier Latin e Carreira Solo (2006 – Presente)

Droit Chemin (2006)

Depois de sete anos com Quartier Latin e contribuições em seis álbuns e um maxi-single, Fally iniciou sua carreira solo em 2006 com o álbum “Droit Chemin”. O álbum foi um sucesso, sendo certificado como disco de ouro um ano depois de seu lançamento.

Arsenal de Belles Mélodies (2009)

Em 2009, Fally lançou “Arsenal de Belles Mélodies”, um álbum que solidificou sua carreira, alcançando disco de ouro com 100.000 cópias vendidas. O álbum contou com colaborações de artistas como Olivia e o rapper Krys.

Power “Kosa Leka” (2013)

Seu terceiro álbum solo, “Power Kosa Leka”, foi lançado em 2013. Embora as vendas tenham sido menos expressivas em comparação com seus álbuns anteriores, trouxe sucessos como “Ndoki” e “Sweet Life”. Logo após o lançamento do álbum, Fally assinou um contrato de três álbuns com a Universal Music Group.

Anos Recentes e Reconhecimento (2014-2020)

Em 2014, o single “Original” alcançou mais de 10 milhões de visualizações. Fally foi classificado pelo Huffington Post como o 6º artista africano mais rico e realizou um concerto em Paris em 2020 com a presença de mais de 20.000 fãs.

Conquistas e Legado

Fally Ipupa é um dos artistas mais bem-sucedidos da música africana contemporânea, conquistando prêmios e indicações em vários eventos internacionais. Ele representa uma fusão de estilos e culturas, unindo elementos tradicionais da música congolesa com influências modernas. Sua influência vai além da música, participando também de projetos que apoiam o investimento agrícola e o desenvolvimento da África.

E assim, Fally Ipupa continua a ser uma força influente na música africana, cujo legado ainda está sendo escrito.

Corrigir / Atualizar ou Adicionar Informações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui