Nascido como Olawale Ibrahim Ashimi em 9 de maio de 1986, em Okokomaiko, Lagos, Nigéria, o artista conhecido pelo nome artístico de Brymo cresceu em um lar multi-religioso. Ele é filho único de um carpinteiro Awori e de uma comerciante Egun. Ainda na infância, foi matriculado em uma escola islâmica, onde aprendeu a recitar todo o Alcorão. Após frequentar as escolas primárias Aganju Aka e Japual, Brymo inicialmente tinha o sonho de seguir carreira no futebol.

A virada para a música aconteceu em 1999, quando Brymo, ainda no ensino médio, gravou sua primeira canção, intitulada “Future”. Em 2002, ele e alguns amigos formaram um grupo chamado The Aliens, que durou até 2005. Inspirado pelas canções de fuji cantadas por sua mãe, Brymo entrou na Universidade Estadual de Lagos para estudar zoologia, mas abandonou o curso no segundo ano para dedicar-se integralmente à música.

Ascensão Musical e Discografia

Brymo assinou seu primeiro contrato de gravação com a gravadora Chocolate City em 2010, mas saiu em 2013 sob alegações de violação de contrato. Seu álbum de estreia, “Brymstone”, foi lançado em 2007. Em 2012, ele lançou “The Son of a Kapenta”, apoiado pelos singles “Ara”, “Good Morning” e “Go Hard”.

Seu terceiro álbum, “Merchants, Dealers & Slaves”, lançado em 2013, recebeu críticas positivas e foi seguido por “Tabula Rasa” em 2014. Brymo explorou mercados internacionais com o álbum de compilação “Trance” em 2015, destinado principalmente ao público dos EUA. “Klĭtôrĭs” (2016), “Oṣó” (2018), e “Yellow” (2020) são outros álbuns que solidificaram sua reputação, com “Oṣó” sendo particularmente elogiado pela mistura de folk alternativo e música Yoruba.

Brymo também tem uma série de outros projetos, incluindo EPs e colaborações. Em 2019, ele formou a banda de rock alternativo A.A.A com três membros da Skata Vibration. Em 2020, ele lançou seu EP de estreia, “Libel”, produzido por Bigfoot e com vocais de Deborah Prest.

CONHEÇA TAMBÉM:  Tiwa Savage

Recentemente, Brymo lançou simultaneamente os álbuns “9: Èsan” e “9: Harmattan & Winter” em 2021, seguidos por “Theta” em 2022, que foi inteiramente cantado em Pidgin Nigeriano. Em 2023, ele apresentou seu décimo primeiro álbum de estúdio, “Mansa”, exibido no KAP Hub.

Outras Realizações e Controvérsias

Além de sua carreira musical, Brymo é também autor e ator. Ele publicou três livros: “Oriri’s Plight” (2018), “Verses” (2020) e “The Bad Tooth” (2022), e atuou nos filmes “Price of Admission” (2021) e “Elesin Oba, The King’s Horseman” (2022).

Em 2023, Brymo gerou controvérsia ao anunciar seu apoio a Bola Tinubu nas eleições presidenciais nigerianas, criticando a ideia de uma presidência Igbo, o que foi considerado ofensivo e tribalista por muitos.

Vida Pessoal

Na vida pessoal, Brymo é pai de um filho nascido em 27 de março de 2015, a quem apresentou ao mundo através de sua conta no Instagram em novembro do mesmo ano.

Legado e Estilo Musical

Brymo é conhecido por sua mistura única de fuji, R&B, pop e rock. Ele tem sido elogiado por seu comentário sobre a injustiça social e o caos prevalentes na sociedade nigeriana através de suas músicas. Seus álbuns refletem uma variedade de questões sociais e ele acredita que “todas as questões emergem nas relações humanas”.

Com uma carreira que abrange mais de duas décadas e diversos álbuns, EPs, livros e atuações no cinema, Brymo continua sendo uma figura multifacetada e influente na indústria do entretenimento nigeriano e africano como um todo.

Corrigir / Atualizar ou Adicionar Informações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui